Falar sobre saúde mental é salvar vidas

Muito se ouve falar em cuidar da saúde. Fazer exames periodicamente, se alimentar bem, exercitar o corpo, ter um boa noite de sono, levar uma vida mais leve. Podemos compreender o significado de saúde como um estado de normalidade de funcionamento do organismo humano. Há algum tempo esse termo significava somente a ausência de doenças, atualmente, o termo é representado também pelo bem-estar físico, mental e social, de acordo com a Opas (Organização Pan Americana da Saúde).

Sendo assim, todos esses cuidados citados acima, vão muito além de ter um corpo saudável. Como diz um pressuposto da PNL (Programação Neurolinguística), corpo e mente formam um só sistema e ambos se influenciam. Isso diz muito sobre o nosso funcionamento, sobre respostas externas que nossos sentimentos e estados internos provocam.

Para a PNL, tudo se inicia com um pensamento e o que não resolvemos em nossa mente, o corpo transforma em doença. Portanto, cuidar da saúde emocional exige a mesma prudência e atenção que dedicamos à saúde física. Já percebeu que a todo momento o corpo nos envia sinais de alerta? Ao interpretá-los, é possível alcançar uma vida equilibrada.

Em setembro, uma campanha muito importante é altamente difundida nas redes sociais e mídias do Brasil, e fala justamente sobre a saúde mental e emocional das pessoas. O Setembro Amarelo é voltado para a conscientização e prevenção do suicídio. A ideia é promover eventos que abram espaço para debates sobre o tema e o divulguem, com o intuito de alertar a população sobre a importância de sua discussão.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) alerta que a cada quatro pessoas, uma sofrerá com algum transtorno da mente ao longo da vida. O número de pessoas com depressão aumentou 18,4%, nos últimos dez anos. Esse índice no Brasil é ainda mais preocupante, sendo o nosso país a maior taxa na América Latina, onde 5,8% da população sofre de depressão. Em um contexto social, esses números comprovam a importância de falarmos sobre saúde mental. Precisamos desmistificar os conceitos errôneos que muitas pessoas dão para quem enfrenta problemas relacionados à saúde mental.

Nesse sentido, familiares, amigos e instituições possuem o papel fundamental de ajudar e encaminhar uma pessoa que busca auxílio para o tratamento mais adequado. Procurar dar mais atenção a quem precisa e reservar algum momento para conversar com as pessoas pode ser o primeiro passo. Afinal, a frase de impacto da campanha Setembro Amarelo é: falar é a melhor solução!

A conscientização é o ponto primordial ao alcance do sucesso na recuperação e na minimização dos riscos que esses problemas causam na população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *